Aviso Agricola Dão Nº8/18

Visagricola > Boletins Agricolas > Boletins Agricolas > Aviso Agricola Dão Nº8/18

VINHA

Míldio

A maior parte das vinhas da região está a começar o período de floração, de grande sensibilidade a míldio. A chuva prevista irá encontrar a vinha no final da cobertura respeitante ao tratamento recomendado pela última circular. Deve renovar o tratamento para míldio.

Oídio

Deve continuar a manter a vinha protegida para oídio até ao pintor.

Black-Rot

As duas semanas após o início da floração constituem o período em que a produção se encontra mais suscetível aos ataques de podridão negra. Ao efetuar tratamento para míldio ou oídio opte por produtos que tenham também efeito sobre esta doença. Veja quadro de produtos homologados para podridão negra em anexo.

Podridão Cinzenta

Tendo em consideração a forte humidade verificada, nas vinhas onde observou manchas de podridão cinzenta nas folhas e naquelas onde este problema é comum, é recomendável efetuar um tratamento para a podridão cinzenta à medida que as videiras forem entrando na fase de floração/alimpa. Consulte quadro de produtos homologados em anexo.

MACIEIRA

Pedrado

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê continuação de tempo instável. Deste modo, aconselhamos a renovação de tratamento com produto de contacto. Nos pomares onde se registou a lavagem de produto, devido à ocorrência de precipitação superior a 25 litros por m2, recomendamos a realização imediata de tratamento com um produto de ação curativa e preventiva.

Bichado-da-Fruta

Caso não tenha optado por nenhuma das estratégias indicadas nas Circulares anteriores ou se verificou lavagem do produto aplicado deve, nesta altura, optar por produtos de ação ovicida-larvicida cuja utilização seja ao início da eclosão das larvas ou, em alternativa, produto de ação larvicida. Consulte a lista de produtos enviada com a Circular anterior.

Cochonilha S. José

O somatório de temperaturas já foi atingido e registámos o início da eclosão de larvas da 1ª geração. Se verificou a presença da praga na campanha anterior, aconselhamos que o tratamento seja apenas dirigido às árvores e/ou parcelas infestadas. Se a sua presença é generalizada a todo o pomar, opte por um produto que controle simultaneamente este inimigo e o bichado-da-fruta.

Piolho verde e cinzento

Aconselhamos vigilância do seu pomar uma vez que foi registada a presença destas pragas nos Postos de Observação Biológica. Observe 100 rebentos e realize tratamento, com um produto específico e o menos tóxico possível para os insetos auxiliares (Joaninhas, Crisopas, Sirfídeos, etc.), apenas se ultrapassado o Nível Económico de Ataque: Piolho Cinzento – 2 rebentos infestados e Piolho Verde – 15 rebentos infestados.

BATATEIRA

Míldio

As condições continuam favoráveis ao desenvolvimento da doença. Recomenda-se a realização de tratamento de forma a manter a cultura protegida.

Epitrix sp.

Estes insetos são pequenos coleópteros pertencentes à família das álticas ou “pulguinhas” cujas larvas causam estragos nos tubérculos, desvalorizando a batata. Nesta altura, são observados sintomas causados pelos adultos, que ao se alimentarem das folhas provocam pequenos orifícios, conferindo um aspeto crivado. Deste modo, aconselhamos vigilância e na presença da praga realize tratamento com uma das seguintes substâncias ativas: acetamiprida ou tiaclopride. Ambas as substâncias também se encontram homologadas para o controlo do Escaravelho. Em caso de duvida na identificação de sintomas contacte a Estação de Avisos do Dão.

 

Consulte o Boletim no Serviço Nacional de Avisos Agricolas: Ainda Não Disponível

Fonte: Estação de Avisos do Dão