Aviso Agricola Dão Nº14/18

Visagricola > Boletins Agricolas > Boletins Agricolas > Aviso Agricola Dão Nº14/18

MACIEIRA

Mosca da Fruta

Ainda não foram intercetados adultos de mosca-da-fruta nas armadilhas instaladas nos postos de observação. Atendendo a que as condições meteorológicas se encontram favoráveis ao seu desenvolvimento aconselhamos, nos pomares com histórico da praga e nas variedades tardias, a observação de 150 frutos (5 frutos x 30 árvores) e se registar 2 a 3 frutos atacados, deve efetuar tratamento. Encontram-se autorizadas as seguintes substâncias ativas: acetamiprida (IS – 14 dias), deltametrina (IS – 7 dias), deltametrina+tiaclopride (IS – 7 dias), fosmete (IS – 28 dias) e lambda-cialotrina (IS – 7 dias).

Nota: continuamos a registar capturas de adultos de Bichado-da-Fruta e frutos com perfurações recentes. Considerando que se encontra a decorrer o período de colheita, aconselhamos vigilância das variedades de maturação tardia e se realizar tratamento opte por um produto que controle ambas as pragas.

 

OLIVAL

Mosca da Azeitona

Observámos um aumento do número de adultos nas armadilhas e, nas variedades mais sensíveis, frutos picados, com ovos e larvas vivas, acima do Nível Económico de Ataque. As condições meteorológicas favoráveis, em particular o aumento da humidade relativa, irão promover a evolução da praga. Aconselhamos a observação de 100 azeitonas e a realização de tratamento caso registe 8 a 12 % com formas vivas. Consulte a lista de produtos homologados que consta no verso da presente Circular.

Gafa, Olho-de-Pavão e Cercosporiose

Derivado à ocorrência de aguaceiros e trovoadas nalguns locais da região, aconselhamos a realização de tratamento caso tenha ocorrido precipitação no seu olival. Opte por produtos à base de cobre. A formulação oxicloreto de cobre é a única homologada para o conjunto das doenças visadas.

A DGAV procedeu à publicação do Ofício Circular n.º 25/2018, relativo a Restrições/alterações ao uso de produtos fitofarmacêuticos com base na substância ativa lambdacialotrina, em resultado da revisão dos limites máximos de resíduos (LMR).

 

PSILA AFRICANA DOS CITRINOS

Face à dispersão do inseto Trioza erytreae foi atualizado o mapa e lista de freguesias que integram, total ou parcialmente, a zona demarcada. Dos concelhos abrangidos por esta Estação de Avisos, encontram-se na zona parcialmente dentro da zona demarcada as freguesias de Arcozelo das Maias e Ribeiradio do concelho de Oliveira de Frades. Ao abrigo do número 1, do artigo 20.º do Decreto-Lei n.º 154/2005 de 6 de setembro, alertam-se todos os proprietários de citrinos das freguesias acima mencionadas para a obrigatoriedade de realizar tratamento com ACTARA 25 WG, CONFIDOR O-TEQ, EPIK SG ou DELEGATE 250WG. Se não possuírem cartão de aplicador deve ser utilizado o produto de uso não profissional, POLYSEC ULTRA PRO. Encontram-se na zona de vigilância os concelhos/freguesias de Castro Daire (Cabril, Parada de Ester e Ester), Mortágua (Cercosa, Espinho, Marmeleira, Mortágua, Vale Remígio, Cortegaça e Almaça, Pala, Sobral e Trezói), Oliveira de Frades (Arcas e Varzielas, Destriz e Reigoso, Oliveira de Frades, Souto de Lafões e Sejães, Pinheiro, São João da Serra, São Vicente de Lafões), São Pedro do Sul (Carvalhais e Candal, Manhouce, Santa Cruz da Trapa e São Cristóvão de Lafões, São Martinho das Moitas e Covas do Rio e Valadares), Tondela (Barreiro de Besteiros e Tourigo, São João do Monte e Mosteirinho) e Vouzela (Cambra e Carvalhal de Vermilhas e Campia). Nestas freguesias não é obrigatório realizar tratamento, mas recomendamos alerta e na presença de sintomas suspeitos, agradecemos contacto para esta Estação de Avisos.

 

BATATEIRA

Epitrix sp.

Nos tubérculos são observadas galerias com traçado sinuoso causadas pelas larvas. Recomendam-se, como medidas preventivas, a limpeza dos campos, a destruição dos restos de cultura, a eliminação das zorras e infestantes e rotação com culturas não solanáceas. Para mais informações consulte informação disponível na DGAV.

Tecia solanivora

Esta praga de quarentena ataca os tubérculos, quer em campo, quer em armazém, causando a sua destruição ao escavar galerias onde se acumulam resíduos de alimentação e excrementos que favorecem o desenvolvimento de podridões. Caso observe sintomas suspeitos contacte a Estação de Avisos do Dão. Consulte aqui folheto informativo.

 

Consulte o Boletim no Serviço Nacional de Avisos Agricolas: Ainda Não Disponível

Fonte: Estação de Avisos do Dão