Aviso Agricola Dão Nº11/18

Visagricola > Boletins Agricolas > Boletins Agricolas > Aviso Agricola Dão Nº11/18

VINHA

Míldio

Têm sido observadas manchas de míldio em muitas vinhas da região. A forte precipitação sentida nalguns locais, associada a um forte crescimento da vinha poderá ter afetado a eficácia do último tratamento, podendo surgir novas infeções no cacho. Nos locais onde ocorreu forte precipitação ou onde haja manchas de míldio, recomendamos a renovação do tratamento com um produto de ação curativa e anti-esporulante. Relembra-se que para este tratamento ser eficaz, a folhagem deve estar levantada facilitando o acesso da calda aos cachos.

Podridão negra/ Black rot

Em vinhas onde haja fortes sintomas de podridão negra (manchas, lesões nos cachos ou nas varas), ao renovar o tratamento para míldio recorra um produto com eficácia para esta doença.

Doenças do lenho da videira-Esca e Botriosféria

Já observámos videiras com sintomas destas doenças do lenho. Tratando-se de um ano muito húmido, os sintomas mais frequentes serão o aparecimento de folhas, por toda a sebe, com manchas avermelhadas (castas tintas) ou amareladas (castas brancas) entre as nervuras, que acabam por secar, ficando as folhas com um aspeto raiado e murcho. Não há solução curativa para o controlo da Esca, nem para o da Botriosféria nesta fase de desenvolvimento. Neste momento e à medida que as videiras forem mostrando sintomas, devem ser assinaladas para posterior remoção e destruição (esca) ou tratamento (botriosféria).

Cigarrinha da Flavescência Dourada (Scaphoideus titanus)

A Flavescência Dourada é uma grave doença da videira, transmitida pelo inseto Scaphoideus titanus (inseto vector) e por material de propagação vegetativa infetado (bacelos, garfos, enxertos-prontos). Esta doença pode por em causa a viabilidade da vinha e a sua produção. Uma das medidas de prevenção da dispersão da doença passa pelo controlo do seu insecto vector e, conforme Portaria nº 165/2013 de 26 de abril, é obrigatório realizar tratamento nas freguesias onde já foi detetada a sua presença. Face aos trabalhos de prospeção realizados na região, já foi detetada a presença do insecto nos concelhos e freguesias visados no Quadro abaixo. Deste modo recomendamos a realização de tratamento inseticida, nas vinhas localizadas nas freguesias mencionadas no quadro, com um dos produtos que constam na lista que acompanha a presente Circular.

Mangualde: Alcafache, Fornos de Maceira Dão, Espinho e União de Freguesias de Moimenta de Maceira Dão e Lobelhe de Mato

Nelas: Nelas, Vilar Seco, União de Freguesias de Santar e Moreira, União de Freguesias de Carvalhal Redondo e Aguieira, Senhorim

S. Pedro do Sul: Serrazes, União de Freguesias de S. Pedro do Sul, Várzea e Baiões

Viseu: S. João de Lourosa, Silgueiros, Fragosela e Ranhados

Tondela: Lajeosa do Dão Vouzela: União de Freguesias de Fataunços e Figueiredo das Donas, São Miguel do Mato

MACIEIRA

Pedrado

As condições meteorológicas verificadas nos últimos dias foram favoráveis ao desenvolvimento de novas infeções. Recomendamos a proteção do pomar, em particular, onde são visíveis manchas de pedrado.

Bichado da Fruta

Devido à intensificação do voo verificado na semana passada e face às condições meteorológicas ocorridas, aconselhamos a realização de estimativa de risco, observando 20 frutos em 50 árvores na bordadura e interior do pomar. Se contabilizar entre 5 a 10 frutos atacados deve tratar de imediato.

Psila Africana dos Citrinos (Trioza erytreae)

Na sequência dos resultados da prospeção fitossanitária, foram detetados novos focos da praga no concelho de Aveiro (Requeixo, Nossa Senhora de Fátima e Nariz), no concelho de Oliveira do Bairro (Oiã), no concelho de Sever do Vouga (Silva Escura e Dornelas) e no concelho da Mealhada (Mealhada, Ventosa do Bairro e Antes). Na presença de sintomas suspeitos, agradecemos o contacto imediato para a Estação de Avisos do Dão. Consulte mais informações aqui.

Consulte o Boletim no Serviço Nacional de Avisos Agricolas: Ainda Não Disponível

Fonte: Estação de Avisos do Dão